Imunização no contexto da pandemia de COVID-19. Perguntas mais frequentes (FAQ).

Estas Perguntas mais frequentes (FAQ) acompanham os Princípios orientadores para atividades de imunização durante a pandemia de COVID-19 da OMS. À medida que a pandemia da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) evoluir, estas FAQ serão revisadas, conforme necessário. A imunização é um serviço de saúde essencial que protege indivíduos suscetíveis contra doenças imunopreveníveis.

Acesse aqui o documento

Estrutura para tomada de decisões: Implementação de campanhas de vacinação em massa no contexto da COVID-19.

Este documento apresenta as seguintes seções: I. delineia uma estrutura comum para a tomada de decisões na realização de campanhas de prevenção e de resposta a surtos; II. oferece princípios a serem considerados ao deliberar a implementação de campanhas de vacinação em massa para prevenção de risco aumentado de doenças imunopreveníveis e de alto impacto em meio a populações suscetíveis; e III. detalha os riscos e benefícios da realização de campanhas de vacinação em resposta a surtos de doenças imunopreveníveis e de alto impacto.

Acesse aqui o documento

Princípios norteadores para as atividades de imunização durante a pandemia da COVID-19. Orientação provisória, 26 de março.

Este documento apresenta princípios norteadores e considerações para apoiar os países em suas decisões sobre a provisão de serviços de imunização durante a pandemia do vírus COVID-19, sendo endossado pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização da OMS. O documento é complementado por uma série de materiais técnicos da OMS sobre medidas de resposta e mitigação para a COVID-19

Acesse aqui o documento

O programa de imunização no contexto da pandemia de COVID-19.

Este documento apresenta orientações sobre o funcionamento dos programas de imunização no contexto da pandemia de COVID-19.

Acesse aqui o documento

Vacina Bacilo Calmette-Guérin (BCG) e COVID-19.

Este é um resumo científico que não há evidências de que a vacina Bacilo Calmette-Guérin (BCG) proteja os indivíduos contra a infecção pelo COVID-19. 

Acesse aqui o documento

Novo coronavírus Um estudo randomizado internacional de vacinas candidatas contra a COVID-19.

Grande estudo clínico randomizado controlado, internacional, que se destina a permitir a avaliação rápida, ágil e concomitante dos benefícios e riscos de diversas vacinas candidatas à prevenção da COVID-19, em vários países com consideráveis taxas de ataque de COVID-19. Diversas vacinas candidatas podem estar disponíveis ou serem adequadas para inclusão no estudo em diferentes momentos. Espera-se que os resultados primários referentes à eficácia de cada vacina candidata estejam disponíveis dentro de 3 a 6 meses após a inclusão destas no estudo. O estudo recrutará e randomizará rapidamente um grande número de participantes adultos, em várias populações distintas.

Acesse aqui o documento

Como implementar vacinação de profissionais da saúde contra infuenza sazonal.

Este manual serve como referência e catálogo de ferramentas disponíveis para auxiliar os governos de diferentes países a decidirem sobre o planejamento, implementação e monitoramento da vacinação de profissionais da saúde contra Influenza, para alcançar a melhor cobertura vacinal possível. Não se trata de um documento prescritivo, mas sim uma explicação dos princípios gerais e principais considerações que dão suporte à formulação de políticas; planejamento e gestão de vacinação; e monitoramento e avaliação da vacinação de profissionais da saúde contra Influenza. 

Acesse aqui o documento

Vacinação de recém-nascidos no contexto da pandemia da COVID-19.

Este documento orienta sobre a vacinação de recém-nascidos com as vacinas BCG e hepatite B e no contexto da pandemia da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19), com o intuito de manter uma alta cobertura vacinal. Principais considerações: A pandemia de COVID-19 está tendo um considerável impacto econômico, social e de saúde na população, e colocando pressão sobre os serviços de saúde. Com base nas informações disponíveis até o momento, idosos e pessoas de qualquer idade com doenças preexistentes têm maior risco de evoluir para um quadro grave de COVID-19. Foram notificados apenas alguns poucos casos de COVID-19 em recém-nascidos. Atualmente, não há evidências de transmissão vertical do SARS-CoV-2 de gestantes infectadas para os fetos, e o vírus não foi encontrado em amostras de leite materno. No entanto, estudos de rastreamento com gestantes que deram à luz em dois hospitais, durante o pico da epidemia na cidade de Nova York (Estados Unidos), mostraram que entre 15%-20% estavam infectadas com COVID-19, embora mais de dois terços dessas gestantes infectadas não apresentassem nenhum sintoma.

Acesse aqui o documento