Protocolo de investigação sobre transmissão domiciliar para infecção por coronavírus 2019 (2019-nCoV).

O seguinte protocolo foi projetado para investigar a transmissão doméstica de 2019-nCoV em qualquer país em que a infecção 2019-nCoV tenha sido relatada. Cada país pode necessitar adequar alguns aspectos deste protocolo. Entretanto, usando um protocolo padronizado, dados epidemiológicos da exposição e amostras biológicas podem sistematicamente ser coletados e compartilhados rapidamente em um formato que possa facilmente ser agregado, tabulado e analisado através de muitos ajustes globais diferentes para estimativas oportunas de taxas de severidade e de ataque da infecção pelo 2019-nCoV.

Acesse aqui o documento

Os Primeiros Poucos X (FFX) Casos e protocolo de investigação de contatos para a infecção pelo novo coronavírus 2019 (2019-nCoV).

Os métodos para orientar a coleta de dados e a investigação em saúde pública para a avaliação global dos casos confirmados de 2019-nCoV e os seus contatos próximos são apresentados neste documento. A OMS, em colaboração com parceiros técnicos, desenvolveu uma série de protocolos aprimorados de vigilância, harmonizados para ajudar a fornecer informações detalhadas sobre as características epidemiológicas do 2019-nCoV.

Acesse aqui o documento

Protocolo de estudo soroepidemiológico de base populacional e estratificado por faixa etária para infecção pelo coronavírus..

O presente protocolo foi desenvolvido para investigar o alcance da infecção, conforme determinado pela soropositividade da população geral, em qualquer país com casos confirmados de infecção pelo COVID-19. Os países talvez tenham que adaptar alguns aspectos deste protocolo. No entanto, usando-se um protocolo padronizado, tal como o descrito abaixo, dados de exposição epidemiológica e amostras biológicas podem ser coletados de forma sistemática, e rapidamente compartilhados em um formato que facilite sua agregação, tabulação e análise em diferentes cenários globais, para estimar prontamente a gravidade as taxas de ataque da infecção pelo vírus COVID-19.

Acesse aqui o documento

Protocolo de vigilância para infecção por SARS-CoV-2 entre profissionais da saúde. Versão: 1, 28 de maio de 2020

Objetivo do protocolo de vigilância em profissionais da saúde: O objetivo deste protocolo é descrever a epidemiologia da COVID-19 entre os profissionais da saúde, incluindo como parte da investigação do caso suas características de exposição e fatores de risco. O questionário deve ser usado apenas para fins de vigilância e epidemiologia e não deve ser usado, por exemplo, para identificar violações na adesão aos procedimentos com equipamentos de proteção individual (EPI) pelos profissionais da saúde ou para expor os profissionais da saúde ao risco de ação legal. Os resultados dessa vigilância direcionada também darão apoio à identificação das medidas de PCI mais apropriadas a serem reforçadas nas unidades e nos países para melhor proteger os profissionais da saúde. Além disso, com base nas conclusões dessa vigilância, a comunidade científica internacional obterá evidências vitais para informar a atualização de PCI e as orientações de gestão para prevenção da COVID-19 entre os profissionais da saúde.

Acesse o documento aqui

Ferramenta da OMS para Avaliação de Risco de COVID-19 em eventos com aglomeração de pessoas - Eventos Religiosos

O conteúdo desta ferramenta de Avaliação de Risco foi atualizado para refletir as novas orientações da OMS e novas evidências sobre a COVID-19 e os eventos com aglomeração de pessoas, bem como as devolutivas dos usuários finais. Melhorias adicionais foram feitas na forma como as informações são organizadas e apresentadas: agora a Árvore de Decisão está integrada à ferramenta e uma nova aba dedicada à Comunicação de Risco foi adicionada. A ferramenta expandida agora inclui seis abas: 1. Instruções; 2. Árvore de Decisão; 3. Avaliação de Risco; 4. Mitigação de Risco; 5. Matriz de Decisão; 6. Comunicação de Risco. A versão 1 foi publicada em 16 de abril de 2020, sob o título: “Como utilizar o adendo de eventos religiosos da ferramenta de avaliação de risco da OMS no contexto de COVID-19”. O planejamento rotineiro de eventos com aglomeração de pessoas inclui a realização de avaliações de risco para determinar o risco geral de propagação da doença ligado a um evento com aglomeração de pessoas. Em virtude do surto atual de COVID-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolveu esta ferramenta de avaliação de risco para eventos religiosos. A avaliação inclui uma avaliação de risco, mitigação de risco e estratégia de comunicação de risco desenvolvida para uso por países-sede e organizadores de eventos com aglomeração de pessoas para avaliar o risco específico de COVID-19.

Acesse o documento aqui

Considerações na investigação de casos e aglomerado de casos de COVID-19. Orientação provisória. 22 de outubro de 2020

Este documento é uma atualização do documento de orientação provisória intitulado Considerações na investigação de casos e aglomerado de casos de COVID-19. Esta versão foi atualizada de modo a incorporar informações adicionais sobre a implementação do rastreamento de contatos, incluindo revisões da Figura 1, que fornece exemplos de fluxos de rastreamento de contatos em comunidades e locais de atendimento de saúde. Também inclui critérios atualizados para a liberação do isolamento. A atualização é baseada em evidências recentes sobre o controle da disseminação do SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19, e em conhecimentos científicos sobre o vírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) continuará a atualizar essas recomendações à medida que novas informações forem disponibilizadas. Este documento oferece orientação às autoridades de saúde locais, regionais ou nacionais para uma investigação rápida de casos e aglomerado de casos em que haja suspeita de COVID-19. Ele não deve ser considerado um guia abrangente para a investigação de surtos, mas fornece uma visão geral dos principais componentes de uma investigação de casos ou aglomerado de casos de COVID-19. Uma orientação detalhada de investigação de surto foi desenvolvida para outros patógenos respiratórios, incluindo MERS-CoV2 e vírus da gripe não sazonal. Esta orientação foi criada para ser usada em todos os países, mas sua implementação pode ter que ser adaptada com base nos recursos disponíveis e no nível de transmissão da COVID-19. Por esse motivo, deve ser lida em conjunto com as orientações provisórias da OMS: Ações críticas de preparação, prontidão e resposta para a COVID-19.

Acesse o documento aqui

Ongoing Living Update of Potential COVID-19 Therapeutics: Summary of Rapid Systematic Reviews. Rapid Review, 13 July 2020

This document includes the results of a rapid systematic review of currently available literature. The information included in this review reflects the evidence as of the date posted in the document. Yet, recognizing that there are numerous ongoing clinical studies, PAHO will periodically update these reviews and corresponding recommendations as new evidence becomes available.

Acesse aqui o documento

OMS - Definição de casos - COVID-19. Atualizada em Vigilância de Saúde Pública para COVID-19, publicado em 7 de agosto de 2020

Acesse o documento aqui

Avaliação dos fatores de risco para doença do coronavírus 2019 (COVID-19) em trabalhadores da saúde: protocolo para estudo de caso-controle

O objetivo primário deste estudo de caso-controle entre trabalhadores da saúde é: caracterizar e avaliar os fatores de risco de infecção pelo SARS-CoV-2 entre trabalhadores da saúde expostos a pacientes de COVID-19. Os objetivos secundários do estudo são: avaliar a efetividade das medidas de PCI atuais para COVID-19 entre os trabalhadores da saúde; descrever a variedade de apresentações clínicas da infecção pelo SARS-CoV-2 em trabalhadores da saúde, incluindo a duração e o desfecho da doença; e determinar respostas sorológicas em trabalhadores da saúde com infecção confirmada pelo SARS-CoV-2 após exposição a pacientes de COVID-19, e naqueles não infectados pelo SARSCoV-2 mesmo após exposição a pacientes de COVID-19.

Acesse o documento aqui

Considerações éticas para orientar o uso de tecnologias de rastreamento digital de proximidade para rastreamento de contatos de COVID-19. Orientação provisória. 28 de maio de 2020

Esta orientação provisória tem como objetivo informar os programas de saúde pública e os governos que estejam considerando desenvolver ou implementar tecnologias de rastreamento de proximidade para o rastreamento de contatos de COVID-19. O documento cobre princípios éticos, considerações técnicas e requisitos consistentes com esses princípios; e como alcançar o uso equitativo e adequado de tais tecnologias.

Acesse o documento aqui