Protocolo de investigação sobre transmissão domiciliar para infecção por coronavírus 2019 (2019-nCoV).

O seguinte protocolo foi projetado para investigar a transmissão doméstica de 2019-nCoV em qualquer país em que a infecção 2019-nCoV tenha sido relatada. Cada país pode necessitar adequar alguns aspectos deste protocolo. Entretanto, usando um protocolo padronizado, dados epidemiológicos da exposição e amostras biológicas podem sistematicamente ser coletados e compartilhados rapidamente em um formato que possa facilmente ser agregado, tabulado e analisado através de muitos ajustes globais diferentes para estimativas oportunas de taxas de severidade e de ataque da infecção pelo 2019-nCoV.

Acesse aqui o documento

Os Primeiros Poucos X (FFX) Casos e protocolo de investigação de contatos para a infecção pelo novo coronavírus 2019 (2019-nCoV).

Os métodos para orientar a coleta de dados e a investigação em saúde pública para a avaliação global dos casos confirmados de 2019-nCoV e os seus contatos próximos são apresentados neste documento. A OMS, em colaboração com parceiros técnicos, desenvolveu uma série de protocolos aprimorados de vigilância, harmonizados para ajudar a fornecer informações detalhadas sobre as características epidemiológicas do 2019-nCoV.

Acesse aqui o documento

Protocolo de estudo soroepidemiológico de base populacional e estratificado por faixa etária para infecção pelo coronavírus..

O presente protocolo foi desenvolvido para investigar o alcance da infecção, conforme determinado pela soropositividade da população geral, em qualquer país com casos confirmados de infecção pelo COVID-19. Os países talvez tenham que adaptar alguns aspectos deste protocolo. No entanto, usando-se um protocolo padronizado, tal como o descrito abaixo, dados de exposição epidemiológica e amostras biológicas podem ser coletados de forma sistemática, e rapidamente compartilhados em um formato que facilite sua agregação, tabulação e análise em diferentes cenários globais, para estimar prontamente a gravidade as taxas de ataque da infecção pelo vírus COVID-19.

Acesse aqui o documento