Transmissão do SARS-CoV-2: implicações para as precauções de prevenção de infecção. Resumo científico.

Este documento é uma atualização do resumo científico publicado em 29 de março de 2020 intitulado “Modes of transmission of virus causing COVID-19: implications for infection prevention and control (IPC) precaution recommendations” [Modos de transmissão do vírus que causa a COVID-19: implicações para as recomendações de precaução para a prevenção e controle de infecções (PCI)] e inclui novas evidências científicas disponíveis sobre a transmissão do SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19. Este resumo científico apresenta uma visão geral dos modos de transmissão do SARS-CoV-2, o que se sabe sobre quando as pessoas infectadas transmitem o vírus e as implicações para as precauções de prevenção e controle de infecções dentro e fora das unidades de saúde. O presente resumo científico não é uma revisão sistemática, ele reflete a consolidação de revisões rápidas de publicações em periódicos com revisão por pares e artigos sem revisão por pares em servidores de preprint, realizadas pela OMS e parceiros. 

Acesse aqui o documento

Orientação sobre o uso de máscaras no contexto da COVID-19. Orientação provisória, 5 de junho de 2020.

Este documento é uma atualização da orientação publicada em 6 de abril de 2020 e inclui evidências científicas atualizadas, pertinentes ao uso de máscaras para prevenir a transmissão da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19), além de considerações práticas. As principais diferenças em relação à versão anterior são as seguintes: • Informações atualizadas sobre transmissão por pessoas sintomáticas, pré-sintomáticas e assintomáticas infectadas pelo vírus responsável pela COVID-19, bem como atualização das evidências de todas as seções deste documento. 

Acesse aqui o documento

Preparação, prevenção e controle da doença do coronavírus (COVID-19) para refugiados e migrantes em ambientes fora dos campos de refugiados.

A maioria dos refugiados e migrantes vivem em acomodações individuais e comunitárias em cidades, áreas urbanas e industriais. Eles enfrentam ameaças à saúde pela COVID-19 semelhantes às enfrentadas pelas populações locais. No entanto, devido às condições de suas jornadas migratórias, oportunidades de emprego limitadas, precárias condições de moradia e trabalho, superlotação e acesso inadequado à alimentação, água, saneamento e outros serviços básicos, pessoas refugiadas e migrantes podem ter vulnerabilidades específicas. Muitos migrantes são frequentemente excluídos dos programas nacionais para promoção de saúde, prevenção e tratamento de doenças, assim como de esquemas de proteção financeira para serviços sociais e de saúde. Essa exclusão dificulta a detecção precoce, testagem, diagnóstico, rastreamento de contatos e busca de assistência para COVID-19 entre refugiados e migrantes, aumentando o risco de surtos nessas populações e que estes surtos passem despercebidos ou até mesmo ativamente ocultos. Essas condições representam uma ameaça adicional à saúde pública.

Acesse aqui o documento

Recomendações aos Estados-Membros sobre melhorias nas práticas de higienização das mãos para ajudar a prevenir a transmissão do vírus causador da doença COVID-19.

As evidências atuais indicam que o vírus causador da doença COVID-19 é transmitido através de gotículas respiratórias ou por contato. A transmissão por contato ocorre quando as mãos contaminadas tocam a mucosa da boca, nariz ou olhos. O vírus também pode ser transferido de uma superfície para outra através das mãos contaminadas, o que facilita a transmissão por contato indireto. Assim, a higienização das mãos é extremamente importante para evitar a disseminação do vírus. Apesar do bom nível de conscientização sobre a importância da higienização das mãos na prevenção da infecção pelo vírus causador da doença COVID-19, o acesso a estruturas físicas para higienização das mãos que incluam álcool gel e água e sabão muitas vezes é insuficiente na comunidade e nos estabelecimentos de saúde, especialmente em países de renda baixa a média. A higienização das mãos é a medida isolada mais efetiva na redução da disseminação de infecções através de estratégias multimodais, incluindo o acesso aos materiais adequados.

Acesse aqui o documento

Uso racional de equipamentos de proteção individual para doença do coronavírus (COVID-19) e considerações durante desabastecimentos graves.

Este documento resume as recomendações da OMS para o uso racional de equipamentos de proteção individual (EPIs) em unidades de saúde e na assistência domiciliar, bem como no manuseio de cargas; avalia também a situação atual da cadeia de abastecimento global e as considerações para tomada de decisão durante desabastecimentos graves de EPIs.Este documento não inclui recomendações para membros da comunidade em geral. Clique aqui para mais informações sobre recomendações da OMS para uso de máscara na comunidade em geral. Este documento destina-se a pessoas envolvidas na distribuição e gestão de EPIs, bem como autoridades de saúde pública e indivíduos em instituições de saúde ou na assistência domiciliar, envolvidos em decisões sobre uso e priorização de EPIs; este documento explica quando o uso dos EPIs é mais apropriado, inclusive no contexto do manuseio de cargas. Este documento foi atualizado para abordar considerações importantes para processos de tomada de decisão durante desabastecimentos graves de EPIs.

Acesse aqui o documento

Controles administrativos para garantir a implementação de medidas de prevenção e controle de infecção no contexto da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19).

Apresentar um resumo das medidas administrativas que serve de base para a implementação de medidas de prevenção e controle de infecção (PCI) no contexto da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19).

Acesse aqui o documento

Prevenção e Controle de Infecção na atenção à saúde quando houver suspeita de COVID-19.

Esta é a primeira edição da orientação sobre estratégias de prevenção e controle de infecções que devem ser aplicadas quando houver suspeita de COVID-19. Ela foi adaptada do documento da OMS sobre prevenção e controle de infecções durante prestação de cuidados de saúde para casos prováveis ou confirmados de infecção da síndrome respiratória do Oriente Médio com base no conhecimento atual da situação e experiência com a síndrome respiratória aguda grave. A OMS atualizará estas recomendações à medida que novas informações forem surgindo.

Acesse aqui o documento:

Recomendações para a limpeza e desinfecção em locais de concentração de pessoas privadas de liberdade. Penitenciárias, cadeias, centros de detenção de imigrantes.

Recomendações gerais: • Disponibilizar estações de lavagem de mãos para uso constante das pessoas privadas de liberdade e dos funcionários dos centros penitenciários. • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão por 40 a 60 segundos e pelo menos nos momentos críticos (antes e depois de comer, antes e depois de preparar alimentos, depois de usar o banheiro, antes e depois de realizar uma tarefa de limpeza, antes e depois de tocar em dinheiro), secar as mãos com toalha de papel e usar toalha de papel para fechar a torneira. Se não houver água e sabão, usar álcool gel 70%. • Garantir o fornecimento permanente de água potável, sabão, papel higiênico e toalhas de papel, para a higiene das mãos, e lenços de papel para a higiene respiratória. • Evitar a superlotação nas celas da instalação prisional. • Garantir uma boa ventilação e iluminação natural dos espaços e evitar condições de confinamento. Isso pode incluir a abertura de janelas para ventilação, quando houver pouca poluição atmosférica externa. • Oferecer uma dieta balanceada e garantir a inocuidade dos alimentos servidos às pessoas privadas de liberdade. • Os funcionários dos centros penitenciários com sintomas respiratórios não devem ir ao trabalho.

Acesse aqui o documento

COVID-19 Recomendações técnicas para a escolha de locais alternativos para atendimento de saúde.

Antes de a rede integral de serviços de saúde atingir sua capacidade máxima assistencial durante a resposta à COVID-19, é possível identificar locais alternativos para atendimento médico de saúde que permitam expandir a capacidade da rede de forma alinhada com os princípios e padrões da iniciativa de Equipes de Saúde de Emergência (ESE). O uso dos locais alternativos para atendimento de saúde deve ser considerado como última opção e apenas depois de esgotados todos os demais recursos, como a reorganização dos serviços de saúde e/ou o aumento escalonado de capacidades através da utilização de equipes de saúde de emergência que permitam um melhor manejo e autossuficiência da resposta. O planejamento da expansão da rede integral de serviços de saúde deve focar mais na capacidade de atenção do paciente do que em um aumento de leitos sem o planejamento adequado de pessoal e a autossuficiência assistencial e operacional que o viabilize. A preparação de um local alternativo para atendimento de saúde requer um esforço para colocar em funcionamento, não apenas na readaptação estrutural das instalações, mas também no planejamento do pessoal, na gestão dos fluxos assistenciais e operacionais, no acompanhamento das medidas de PCI, bem como na gestão da cadeia de suprimentos e garantia de qualidade na atenção e proteção dos trabalhadores da saúde. 

Acesse aqui o documento

Recomendações de segurança química para produtos de limpeza e desinfecção.

A maioria dos produtos de limpeza é feita a partir de produtos químicos. • Misturar diferentes produtos químicos pode ser arriscado. • Limpeza significa eliminar a sujeira. Desinfecção significa matar microrganismos. Os detergentes e sabões são feitos para eliminar a sujeira, mas também podem matar microrganismos, já que decompõem e destroem as membranas externas dos vírus. Os desinfetantes são feitos para matar microrganismos. • Os detergentes e a água sanitária (alvejante ou hipoclorito) têm finalidades diferentes e não devem ser combinados. Devem ser usados separadamente. • As soluções feitas a partir da mistura de água sanitária com água exigem uma medição cuidadosa. • A água sanitária é perigosa se for usada sem diluir.

Acesse aqui o documento

Páginas