Terapias com anti-interleucina-6 para pacientes hospitalizados com COVID-19: protocolo para a metaanálise prospectiva de estudos randomizados. 19 de fevereiro de 2021

O aumento da necessidade de informações confiáveis rápidas para guiar o manejo clínico dos pacientes com covid-19 cria um caso contundente para meta-análises prospectivas (MAP), pois uma MAP poderá oferecer evidências oportunas de eficácia com a máxima precisão e um mínimo de viés de risco para popular as diretrizes de práticas clínicas. A característica principal do desenho desta MAP é que o critério de escolha de estudos, hipóteses e análises são especificados antes do conhecimento dos resultados do estudo. Recentemente usamos esse modelo para avaliar o papel dos corticoides na covid-19. Apresentamos o protocolo de MAP de estudos de terapia com anti-interleucina-6 (anti–IL-6), recrutando pacientes hospitalizados com covid-19. Foi baseado no Preferred Reporting Items for Systematic review and Meta-Analysis Protocols (PRISMA- declaração 2015 (4). Será registrado no PROSPERO, registro prospectivo internacional de revisões sistemáticas e publicado on-line antes de receber os dados dos desfechos.O objetivo geral dessa MAP é de estimar o efeito de terapia anti-IL-6 comparado ao cuidado padrão em pacientes hospitalizados com a confirmação ou caso suspeito de covid-19. A principal comparação é do efeito da classe de terapias anti-IL-6. Também estimaremos os efeitos de terapias anti-IL-6 específicas.

Acesse o documento aqui

Guia para os cuidados críticos de pacientes adultos graves com coronavírus (COVID-19) nas Américas (versão longa).

Este documento inclui os resultados de um processo de adaptação rápida de guias. As informações incluídas neste guia refletem as evidências na data publicada no documento. As recomendações se basearam nas evidências disponíveis e em sua qualidade (metodologia GRADE) quando o guia foi publicado. No entanto, reconhecendo que existem numerosos ensaios clínicos em andamento, a OPAS atualizará periodicamente essas revisões e respectivas recomendações.

Acesse aqui o documento

Plataforma clínica global para a COVID-19 com módulo de gravidez – CRF-P, versão 8 de abril de 2020, revisou 13 de julho de 2020

Em resposta à pandemia de COVID-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma plataforma de informações clínicas anonimizadas (a “Plataforma de Dados COVID-19”) para que os Estados Partes do Regulamento Sanitário Internacional (RSI) (2005) possam compartilhar dados clínicos anonimizados com a OMS, relativos aos pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por SARS-CoV-2 (coletivamente “dados anonimizados da COVID-19”). Os dados anonimizados da COVID-19 recebidos pela OMS continuarão sendo de propriedade da Entidade contribuidora e serão usados pela OMS para fins de verificação, avaliação e assistência de acordo com o RSI (2005), inclusive para informar as respostas da saúde pública e operação clínica relacionadas ao surto de COVID-19. No intuito de ajudar a alcançar esses objetivos, a OMS definiu um Grupo de Assessoria Clínica para aconselhar a OMS a respeito das notificações e análises globais dos dados clínicos de COVID-19.

Acesse o documento aqui

Plataforma Clínica Global da COVID-19 Ficha Clínica (Case Report Form - CRF) para quadro pós-COVID (Post COVID-19 CRF)

A OMS estabeleceu uma Plataforma Global de Dados Clínicos1 da COVID-19 e convida os estados-membros e os estabelecimentos de saúde a registrarem informações clínicas de pacientes individuais anonimizados na plataforma da OMS, usando a Ficha Clínica (em inglês, Case Report Form, – CRF) padronizada. A CRF Pós-COVID-19 destina-se a servir como: ferramenta clínica que pode ser usada pelos estados-membros para documentar as sequelas de médio e longo prazo da COVID-19. A uniformidade no seguimento de pacientes pode assegurar que as necessidades clínicas e de reabilitação no médio e longo prazo sejam identificadas, e que os pacientes recebam o atendimento de que precisam; a OMS não recomenda, necessariamente, a testagem completa descrita na CRF para todas as pessoas, deve-se usar o julgamento clínico para selecionar os testes necessários para o atendimento clínico. Esta CRF é uma ferramenta para coleta de informações padronizadas a respeito do quadro pós-COVID-19, por meio da Plataforma de Dados Clínicos da OMS. Essa compilação de dados e a respectiva análise poderiam melhorar o conhecimento nacional e global das consequências da COVID-19, embasar futuras respostas de saúde pública e abrir caminho para grandes estudos investigacionais.

Acesse o documento aqui

Guia para os cuidados críticos de pacientes adultos graves com coronavírus (COVID-19) nas Américas (versão curta).

Este documento inclui os resultados de um processo de adaptação rápida de guias. As informações incluídas neste guia refletem as evidências na data publicada no documento. As recomendações se basearam nas evidências disponíveis e em sua qualidade (metodologia GRADE) quando o guia foi publicado. No entanto, reconhecendo que existem numerosos ensaios clínicos em andamento, a OPAS atualizará periodicamente essas revisões e respectivas recomendações. OBJETIVO E POPULAÇÃO-ALVO: Este guia de prática clínica foi desenvolvido com o objetivo de fornecer recomendações para o tratamento de pacientes adultos críticos com COVID-19 atendidos na UTI. A população-alvo é composta por pacientes adultos críticos com suspeita ou confirmação diagnóstica de COVID-19. Segundo a OMS, define-se como caso complicado o paciente que precisa de suporte ventilatório e/ou vigilância/tratamento na UTI, e que apresenta as seguintes características: (OMS, 2020). • FiO2/ PO2 ≤250 ou 2. • Radiografia de tórax com infiltrado bilateral esparso. • Frequência respiratória ≥30 ou saturação ≤90%. ESCOPO E USUÁRIOS: Este guia de prática clínica fornece recomendações baseadas em evidências para o controle de infecção, coleta de amostras, cuidados de suporte, tratamento medicamentoso e prevenção de complicações. As recomendações são dirigidas a todos os profissionais de saúde que atendem os pacientes no serviço de urgência/emergência e na unidade de terapia intensiva (UTI) (médicos com especialidade em medicina de urgência, pneumologia, medicina intensiva, clínica médica, anestesiologia, infectologia, fisioterapeutas respiratórios, enfermeiros e farmacêuticos). O guia deve ser usado por tomadores de decisão e membros de entidades governamentais relacionados com o tratamento de pacientes com COVID-19 em UTI na região das Américas. Este guia não incluirá aspectos relacionados com a nutrição, fisioterapia (exceto fisioterapia respiratória) e tratamento de complicações.

Acesse aqui o documento

Corticosteroides para COVID-19. Orientação provisória. 2 de setembro de 2020

Questão clínica: Qual é o papel dos corticosteroides sistêmicos no tratamento de pacientes com COVID-19? Público-alvo: O público-alvo consiste principalmente de médicos, seguido por tomadores de decisão na área de saúde. Prática atual: Os corticosteroides têm recebido atenção mundial como um tratamento potencialmente efetivo para a COVID-19. Esta orientação foi iniciada em 22 de junho de 2020 com a publicação do relatório preliminar do estudo RECOVERY, (1, 2) que agora foi publicado como artigo revisado por pares. Os corticosteroides fazem parte da lista modelo de medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde (OMS), prontamente disponíveis em todo o mundo a um baixo custo e de considerável interesse para todos os grupos de interessados.

Acesse o documento aqui

Condução de revisões intra-ação da COVID-19 locais e seguras durante a pandemia, 28 de abril de 2021

As considerações apresentadas neste documento foram identificadas por meio de análises de várias fontes, incluindo literatura científica emergente e literatura cinzenta, sites de organizações internacionais e não governamentais. Elas devem ser adaptadas às regulamentações nacionais.

Acesse o documento aqui

COVID 19 Tratamentos Experimentais.

Acesse aqui o documento

Ficha Informativa. Plataforma Clínica Global de COVID-19 para caracterização clínica e gestão de pacientes hospitalizados com suspeita ou confirmação de COVID-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) convida seus Estados Membros, serviços de saúde e outras entidades para contribuírem com a OMS na vigilância de dados clínicos de casos de pacientes hospitalizados com COVID-19, a fim de melhorar o entendimento global sobre a apresentação clínica dessa doença. A análise de dados clínicos padronizados e anônimos do mundo todo é essencial para o desenvolvimento de diretrizes baseadas em evidências para o manejo clínico da COVID-19 e para subsidiar respostas de saúde pública.

Acesse o documento aqui

Orientação para a condução de revisão intra-ação (IAR) nacional da COVID-19. Adendo 1. 28 de abril de 2021

Esta publicação (Adendo 1) não objetiva a substituição da Orientação para a realização de uma revisão intra-ação (IAR) nacional da covid-19, conforme publicada em 23 de julho de 2020 e que pode ser encontrada no seguinte link: httpspublic://p1f7k96koubg69gn12hr3gp11ft4.jpgwww.who.int/publications/i/item/WHO-2019-nCoV-Country_IAR-2020.1, mas sim a sua complementação.

Acesse o documento aqui

Páginas